Um novo estudo vincula a atividade de certos genes a um transtorno de humor pré-menstrual que afeta 2 a 5% das mulheres em idade reprodutiva.

O distúrbio, conhecido como transtorno disfórico pré-menstrual (PMDD), causa sintomas mais graves que a síndrome pré-menstrual, mais conhecida como PMS. Os sintomas do TDPM incluem irritabilidade, tristeza e ansiedade incapacitantes antes do período menstrual.

O link "acrescenta evidências de que o PMDD é um distúrbio da resposta celular ao estrogênio e progesterona", disse o pesquisador do estudo, Dr. Peter Schmidt. Ele está no Instituto Nacional de Saúde Mental, parte dos Institutos Nacionais de Saúde dos EUA.


"Pela primeira vez, agora temos evidências celulares de sinalização anormal em células derivadas de mulheres com PMDD, e uma causa biológica plausível para sua sensibilidade comportamental anormal ao estrogênio e progesterona", disse ele em um comunicado à imprensa do NIH.

Os cientistas já sabiam que as mulheres com esse distúrbio são especialmente sensíveis a alterações nos hormônios sexuais, mesmo que seus níveis hormonais sejam normais.

Para o novo estudo, os pesquisadores analisaram como a expressão gênica era controlada nos glóbulos brancos. Eles descobriram um complexo de genes que age de maneira diferente em mulheres com o distúrbio em comparação com mulheres sem ele.


O Dr. David Goldman, do Instituto Nacional de Abuso de Álcool e Alcoolismo dos EUA, trabalhou com Schmidt no estudo.

"Este é um grande momento para a saúde das mulheres, porque estabelece que as mulheres com PMDD têm uma diferença intrínseca em seus aparelhos moleculares para responder aos hormônios sexuais - não apenas comportamentos emocionais que devem ser capazes de controlar voluntariamente", disse Goldman.

O estudo aparece em 3 de janeiro na revista Psiquiatria Molecular.


Utopia de lugar nenhum com Eduardo Suplicy, Ronaldo Lemos e Lygia da Veiga Pereira (Junho 2021).